Projeto Social Ajuda São Paulo

  POSTOS DE DOAÇÕES Posto Jd Benfica – Itaim Paulista: deixar sua contribuição aos cuidados de Tatiane Lopez – ZONA LESTE Rua Sagrada Família, 61 – Benfica, São Paulo – SP, 08140-520 Posto Vila Carmozina: deixar sua contribuição aos cuidados de Genauro – ZONA LESTE Travessa Maria Mayer, 10 – Vila Carmosina, São Paulo – […]

CABALA 26 E 26.1 – O CONHECIMENTO DO MUNDO ESPIRITUAL

Muito papel foi desperdiçado pelos filósofos discutindo a impossibilidade de compreender o Criador. O judaísmo, como uma doutrina fundamentada na experimentação pessoal dos cabalistas, responde à seguinte pergunta: como podemos falar sobre a possibilidade ou não de perceber o Criador, antes de poder percebê-Lo?

Qualquer declaração definitiva implica certa medida de percepção. Portanto, primeiro é necessário definir a que se refere quando se diz que é “impossível perceber o Criador ou a infinitude”. Com base em que podemos argumentar que entendemos essas noções?

É evidente que, quando falamos em compreender o Criador, isso significa que tal compreensão seria alcançada por nossos órgãos sensoriais e por nosso intelecto, assim como se faz ao investigar qualquer coisa em nosso mundo. Mais ainda, todos os conceitos devem ser compreensíveis a cada um em nosso mundo, assim como qualquer outro conceito que estiver sendo pesquisado. Desse modo, as ideias devem incorporar algo tangível e real, algo que possa ser discernido por nossos órgãos sensoriais.

Para ler mais:
https://projetoalquimia.wordpress.com/2012/03/13/kabalah/#topico26

O PODER DOS SÍMBOLOS VIII – TRIQUETRA

Triquetra, por vezes chamada de triqueta, em latim triquætra, é um símbolo celta formado por três arcos interligados, também é similar a um tríscele e pode ser interpretada como uma representação do Infinito nas três dimensões ou a eternidade, ou ainda, a trindade, a eternidade e a unidade.

Originário das tradições celtas, representa as três faces da Grande Mãe, a energia criadora do universo, cujas três faces são a Virgem, a Mãe e a Anciã. Era um simbolo muito comum na civilização celta devido o seu enorme poder de proteção. Encontrado inscrito em pedras, capacetes e armaduras de guerra, era interpretado como a interconexão e interpenetração dos níveis Físico, Mental e Espiritual.

ICHING – 12. PI / ESTAGNAÇÃO

Acima CH’IEN, O CRIATIVO, CÉU. Abaixo K’UN, O RECEPTIVO, TERRA.                 Este hexagrama é o oposto do precedente. O céu está acima, retirando-se cada vez mais, enquanto a terra abaixo mergulha nas profundezas. Os poderes criadores estão dissociados. É a época da estagnação e do declínio. Esse hexagrama é atribuído ao sétimo mês (agosto-setembro)l5, quando […]

GITA – CAPITULO 3 – SLOKA 21 – 30

            Sloka 21             Sem dúvida, as pessoas ordinárias atuam do mesmo modo que uma pessoa exaltada. Qualquer regra que uma pessoa exaltada estabeleça, estas pessoas o seguirão.             Sloka 22             Oh! Partha! Para mim, não há nenhum dever prescrito, pois não há nada inalcançável pra mim nos três mundos. Mas até mesmo eu […]

EVANGELHOS APÓCRIFOS – Livro de Enoque (2ª Parte)

Capítulo 51
A ressurreição dos mortos
1 Naqueles dias, a terra devolverá aquilo que não pôde reter, e da mesma forma o mundo inferior dará de volta o que recebeu, e o inferno restituirá a sua culpa. Ele escolherá dentre eles os justos e os santos; pois está próximo o dia da sua libertação.
2 Naqueles dias, o Eleito sentar-se-á sobre o seu trono, e de sua boca emanarão todos os segredos da Sabedoria e do conselho; pois isso lhe é outorgado pelo Senhor dos Espíritos, que também o exalta.
3 Naqueles dias os montes saltarão como cabritos e os outeiros pularão como cordeirinhos saciados de leite, e a face dos Anjos no céu resplenderá de alegria. Pois naqueles dias reinará o Eleito, a terra se alegrará, os justos habitarão sobre ela e os escolhidos sobre ela passearão.

O PODER DOS SÍMBOLOS VIII – AURA

AURA

O que é aura?

Todo ser humano representa um gerador de energia que produz um campo energético. A aura é um fluído ou essência sutil, que emana dos corpos humanos e dos animais. É um eflúvio psíquico que, por sua vez, participa da mente e do corpo; também é chamado de âkâzica ou akâshica – magnética.

A Aura humanaé uma força energética evolutiva, que reúne todas as nossas informações físicas e metafísicas, que sustenta a vida e caracteriza o ser humano.

Sem ela, não poderíamos existir. Ela é uma radiografia de todas as nossas vidas desde o momento de nossa formação espiritual e contém dados sobre o passado, sobre a vida presente e até mesmo tendências futuras.

Por causa deste magnetismo, nos sentimos atraídos ou não (somos simpáticos ou não) por certas pessoas, algumas mais do que as outras; em alguns casos, basta se aproximar para se envolver numa maravilhosa onda de luz e paz, pois a energia é tão contagiante que poderia até ser tocada. Outras pessoas, ao contrário, provocam uma desagradável sensação de cansaço, como se roubassem nossa energia. Este tipo de sensação reflete o poder da nossa aura.

CABALA 25 – O PROCESSO DE SE ACOPLAR AO CRIADOR

A Criação, uma ação altruísta, é a saída do egoísmo. Consiste em estabelecer um limite, ou uma tela (“masach”), ao prazer que chega na forma de uma luz espiritual. Essa tela reflete o prazer de volta à Fonte. Ao fazê-lo, limitamos voluntariamente nosso potencial para o prazer, e definimos, assim, o porquê de aceitarmos o prazer não para nós mesmos, mas sim para a meta da Criação.

O Criador deseja dar-nos prazer; portanto, deleitando-nos com ele, em troca agradamos ao Criador. E essa é a única razão pela qual nos damos o gosto desse prazer. Decidimos, por nós mesmo, que o prazer recebido deve depender de beneficiarmos o Criador, e portanto, de termos a força de vontade para resistir à sua direta recepção.

Nesse caso, nossas ações e forma das ações do Criador coincidem, e, além do prazer original, também experimentamos outro grande prazer, produto da fusão de nossas qualidades com as do Criador: Sua grandeza, Sua força, Seu poder, Seu conhecimento absoluto e Sua ilimitada existência.

O nível de nossa maturidade espiritual é determinado pelo tamanho da tela que podemos construir no caminho do prazer egoísta: quanto maior for nosso poder de ir contra os interesses pessoais, mais alto será o nível alcançado e maior será a luz que receberemos em favor do Criador.

Para ler mais:
https://projetoalquimia.wordpress.com/2012/03/13/kabalah/#topico25

Carta ao Consumista

Você que acorda todo dia,Não vai a missa nem tem missãoSó tem ambiçãoSua sessão é consumirConsomes o seu próximo com seus olhosConsomes os bens sem necessidade algumaConsomes a natureza por ignorânciaConsomes a ti mesmo por mero prazerSaiba que as coisa do mundo são finitasE quanto mais consomesMenos do mundo teráAté findar seus dias em uma […]

O PODER DOS SIMBOLOS VIII – TETRAGRAMMATON

Origem YHWH é o tetragrama (termo derivado do grego τετραγράμματον, tetragrammaton, “conjunto de quatro letras”) que na Bíblia hebraica indica o nome próprio de Deus. As quatro letras do alfabeto hebraico que compõem este tetragrama (escritas da direita para a esquerda) são י (yod), ה (he), ו (vav, chamada também waw), e de novo ה […]

GITA – CAPITULO 3 – SLOKA 11 – 20

                A mitologia Hindu é provavelmente uma das mais antigas mitologias do mundo. Seus primeiros mitos nasceram numa região conhecida como Vale do Indo (no atual Paquistão). O panteão hindu constitui uma tentativa formidável de criar máscaras pelas quais o ser humano tenta falar dos seus sonhos e medos.                 A mitologia hindu inicia com […]